jeudi 20 novembre 2008

Profissionalização do escritor brasileiro




Um bom tema para um livro: o que é ser escritor num país cujo desempenho contra o analfabetismo é pior que 72% na América Latina e pior que 55% no mundo? Vista que a posição relativa do Brasil em termos da taxa de analfabetismo é bem pior do que a sua posição relativa em termos de renda per capita. De fato, as mesmas statísticas das Nações Unidas revelam que apenas 34% dos países do mundo têm uma renda per capita maior que a brasileira. O mesmo fenômeno ocorre na América Latina, onde apenas 28% dos países têm renda per capita maior que a brasileira. O Brasil é um caso diferente, cujas causas remetem à colonização e acomodação à subserviência. Até alguns anos atrás ainda se manisfestava a indignação de forma argumentativa, muitos eram presos, injustiçados porém lutavam pelo seu direito de dignidade e educação adequada.

O império da mídia e a facilitação da sensação de prazer imediato oferecida pelo avanço geométrico da tecnologia contribuíram para a conveniente alienação e banalização do que precisa de esforço homérico sem qualquer reconhecimento ou retorno proporcional. O século XXI é de um povo perdido de si, vazio, sem conteúdo, sem base, que evita qualquer aprofundamento e reflexão pra não sofrer a angústia de tomar consciência do enorme caos atual. A futilidade reina como nunca! Ainda fica a imposição: goze, seja feliz, está reclamando do quê, você passa fome?

Eu canso de falar pra minha família parar de rezar pra dar pão a quem tem fome e sede de justiça a quem tem pão, pois estou ''desidratando''...

"O importante do ponto de vista de uma
educação libertadora, e não "bancária",
é que, em qualquer dos casos, os homens
se sintam sujeitos de seu pensar, discutindo
o seu pensar, sua própria visão do
mundo, manifestada, implícita ou explicitamente,
nas suas sugestões e nas de
seus companheiros" (Freire, 1987).


13 commentaires:

Rodrigo a dit…

Verdade!
Acho que qq pessoa pode escrever, instrução não é tudo, acho que o coração é mais importante na hora da escrita!

Homenzinho de Barba Mal feita a dit…

A alienação em nosso tempo é algo notório. As pessoas em si, não pensam por si só, sempre espera que outro pense fale e aja por ela.
É lamentavél. Ser escritor em um país onde as pessoas não tem o hábito de ler é uma função heróica. O que deveria ser feito era um incentivo à leitura desde o ensino básico...

Carioca a dit…

rdade...mto bem escrito!
mas acho q deveriamos apenas escrever pra incrementar nossa experiencia de respiracao continua, o dinheiro polui as coisas.

--
http://raciocinioquebrado.blogspot.com/

Trujillo a dit…

Entendo o que esta pensando. MAs nesse mesmo universo podemos transformar o que se passa ao nosso redor. Nos que escrevemos temos uma grande desafio pela frente. Desafios que nos fazem superar a casa palavra pensada.
Abrcs

http://acordesdeumavida.blogspot.com/

Contos de F. a dit…

há de se imbuir no coração e na mente dos brasileiros que devemos usar o nosso potencial pessoal em nome da evolução coletiva e que a ascenção só acontece se agregar algum tipo força. e nao há força mais poderosa que a da autonomia e do conhecimento.

Beatriz Paz a dit…

Engraçado, já é o segundo blog que eu vejo postar algo do gênero só hoje.
Luta, esforço, e outros valores como inteligencia, estão se perdendo.
É umapena.
_______________________________
Soletra pra Mim?
Não deixe de ler, e comentar ;)
http://www.soletrapramim.blogspot.com
Se estiver interessado(a) em parceria, entre em contato por comentário.
Obrigada!

Marcel a dit…

Nem tudo é lixo na pós-modernidade.

É evidente que a mídia, a indústria cultural, a política e o escambal a 4 estimulam a alienação da sociedade. No entanto, creio que grande parte da culpa (a maior parte dela) provém de uma cultura de pobrismo, de acomodação e de malandragem, cujos principais conceitos são incentivados dentro dos próprios lares. Ou seja, muita coisa é da cultura do povo e da formação familiar. Mesmo porque, não vamos nos esquecer que nós vivemos no país do "jeitinho brasileiro"...

É preciso tomar cuidado ao dispor sobre o pensamento das massas sob uma determinada pragmática, sob um ponto de vista. Eu acredito que muita coisa está sendo feita para combater essa alienação. Muito mais coisas hoje do que no passado. Mas... é claro que ainda é muito pouco. Infelizmente...

www.dull-flame.blogspot.com

Ellen Regina - facetasdemim a dit…

Em alguns casos a própria "igreja" [ou "igrejas"] contribui para isso, visto q condiciona o indivíduo a só falar/pensar/ler o que diz respeito a Deus, ou melhor, não necessariamente a Deus em si, mas à ideologia de Deus daquela igreja em particular.

MARCOS LEITE a dit…

Oi,gostei de teu blog!interessante!

Entre em meu blog!e veja meus textos!os sentimentos e emoções das palavras!

http://reefugio.blogspot.com

deixe seus comentários!pois suas palavras serão importante para mim!

blog a dit…

A prioridade do brasileiro é outra. Educação não está em seus planos, não há por que ler.
Sou professor de Literatura Brasileira e sei o quanto é penoso para o jovem ter de abrir um livro e lê-lo.
Ele prefere micaretas, filme pornô e mesada do papai. Claro que toda generalização é burra, mas falo, pelo menos, da maioria.

Para que a menina vai ler se sua bunda é bonita? Ela olha para os lados e vê que, lendo, não vencerá na vida. É preciso um belo corpo.

Para que um rapaz lê, se sabe que jogando futebol ou aparecendo no Youtube (com as bobajadas adolescentes) ele tem mais chances de ficar famoso e, portanto, ganhar uma grana?

Isso é Brasil.
Lamentáve que ainda haja patriotas.

amandaedalete a dit…

Verdade, mais fazer o que!
Politicos safados ¬¬

Damn a dit…

Olha, eu acho que não dá para culpar a imprensa, a mídia e o prazer. Eu acho que há um potencial integrador nessa Indústria Cultural, resta saber qual é a melhor alternativa para escapar desse ciclo de irresponsabilidade e alienação.

Samelly Xavier a dit…

Olá, moça poética! Acho que demorei um pouco pra responder seu comentário. Porque o li e achei que tivesse respondido, mas creio que não o fiz.

Enfim: você me perguntou se eu já escrevi algum livro e eu vim responder que sim (três, na verdade, depois podemos comentar mais eles). Você me disse que vez ou outra entra no meu blog através do de Will e nem sempre comenta. Que atrevimento! Se é lendo os comentários que eu venho parar em locais líricos como o seu. Vamos nos adicionar nos favoritos, senhorita leitora de Freire?

Beijo reitado